domingo, 09 de maio de 2021

Saúde

Pacientes que tiveram Covid-19 relatam falta de ar após cura

Por Dr. Celso Padovesi*

16/04/2021 às 10:03:07 | Por: Máquinacohn&wolfe

Pacientes que tiveram Covid-19 relatam falta de ar após cura

Dr. Celso Padovesi (Divulgação)

“Doutor, eu tive Covid-19. Me disseram que estou curado, mas ainda sinto falta de ar.” Desde o início da pandemia, essa queixa tem sido muito frequente nos consultórios de pneumologia. A Covid-19 realmente é muito diferente de uma gripe ou resfriado comum nos mais diversos aspectos.


Em geral, a doença começa com sintomas leves, o paciente tem a impressão de estar resfriado, tem dor de garganta, coriza, tosse seca e, algumas vezes, febre baixa. Além desses sinais, há ainda dois sintomas marcantes da Coronavírus, que são a perda do olfato e a alteração do paladar. Para muitos pacientes, o vírus não passará disso. Porém, infelizmente, um pequeno grupo de pacientes desenvolverá formas mais sintomáticas e graves da doença.


Na maioria das vezes, o paciente que evolui para as formas mais graves começa a piorar dos sintomas na segunda semana da doença (mas, para alguns, a piora pode ocorrer ainda nos primeiros dias).


Os principais sinais de alarme para as formas graves são a persistência de febre e a falta de ar. Esses pacientes idealmente devem ficar internados em observação, pois muitos deles precisarão de oxigênio e, alguns, de intubação e ventilação mecânica.


Passada a fase crítica da doença, a recuperação também é bastante diferente da gripe e do resfriado comum. Quando um paciente pega um resfriado comum, por exemplo, em geral, após 10 dias, ele nem se lembra que ficou doente, pois a recuperação é rápida e não deixa sequelas. Já com a Covid-19, o paciente provavelmente se lembrará da doença por algumas semanas ou meses.


A ocorrência de sequelas pulmonares após a Covid-19 depende muito da gravidade da doença na sua fase aguda, bem como da necessidade de procedimentos invasivos, como a intubação com ventilação mecânica.


A pior sequela do ponto de vista pneumológico é o desenvolvimento de fibrose pulmonar, cujo principal sintoma é a falta de ar persistente e pode levar a uma dependência permanente de oxigênio. Felizmente, essa sequela é rara.


Outra consequência muito mais frequente é a falta de ar aos esforços físicos, sem a presença de fibrose significativa nos pulmões. Essa falta de ar não deve ser chamada de sequela, pois em geral o termo sequela denota uma alteração irreversível. E, felizmente, esse sintoma tende a melhorar com o tempo.


Existem vários motivos para um paciente apresentar falta de ar mesmo após estar curado da Covid-19. Um dos principais é a perda de massa muscular que ocorre durante uma doença grave. Essa perda muscular faz que os esforços que antes pareciam pequenos se tornem difíceis.


Outros pacientes podem desenvolver uma inflamação nos pulmões, que pode ser tratada com medicamentos. Há, ainda, diversas outras causas, que podem ser avaliadas por um pneumologista.


É muito importante que todo paciente que teve Covid-19 e mantém a queixa de falta de ar seja avaliado por um pneumologista. Esse paciente precisará realizar diversos exames para avaliar a função do sistema respiratório, tanto em repouso quanto durante o esforço físico, para que o diagnóstico correto seja estabelecido e o respectivo tratamento indicado.


 


*Dr. Celso Padovesi é coordenador da equipe de Pneumologia da Unidade Santana da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo