segunda, 02 de agosto de 2021

Dicas

Geriatra dá dicas para idosos e familiares se prevenirem da COVID-19

Médico do Hospital de Transição Royal Care afirma que rotinas diminuem as chances dos idosos serem cont

07/01/2021 às 14:32:41 | Por: Hospital Royal Care

Geriatra dá dicas para idosos e familiares se prevenirem da COVID-19

Dicas para Idosos (Divulgação)

Médico do Hospital de Transição Royal Care afirma que rotina de sono, atividade física, entre outras atividades diminuem as chances dos idosos serem contaminados pelo vírus


Já são mais de 7 milhões de casos confirmados de Covid-19 no Brasil. O grupo com maior risco de letalidade devido à pandemia são os idosos. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a letalidade entre pessoas de 40 a 49 anos é de 0,4%. De 50 a 59, o risco sobe para 1,3%. Para idosos de 60 a 69 anos, as chances de letalidade aumentam para 3,6%. Entre 70 a 79 anos, é de 8%. Já entre idosos acima de 80 anos, o risco cresce para 14,8%.


O Dr.Gabriel Martins de Oliveira, Geriatra do Hospital de Transição Royal Care de São José dos Campos, listou algumas dicas que podem ajudar idosos e familiares a se prevenirem contra a COVID-19.


1 - Distanciamento social


É muito importante reforçar o distanciamento social e estar atento para não ficar próximo de qualquer pessoa. Outro ponto, também, é que os idosos devem utilizar máscaras cirúrgicas e não máscara de tricot, realizar a lavagem de mãos com muita frequência e fazer o uso do álcool em gel.


2 - Contato com parentes e amigos


O distanciamento social não significa isolamento emocional. É muito importante para o idoso que mantenha o contato, por chamada de vídeo, ligação de voz ou mensagens de texto com seus amigos e familiares para contar do dia, trocar experiências e até passar o tempo.


3 - Rotina de Sono


Estabeleça horários para dormir e acordar: a rotina do sono é fundamental para estabelecer e manter o nosso ritmo biológico. O nosso cérebro adora previsibilidade e essa rotina beneficia o nosso sistema.


Evite ficar o dia todo no quarto ou de pijama: levante, abra a janela do quarto, coloque uma roupa para passar o dia. Isso mostra ao seu cérebro que o dia começou e faz com que ele se prepare para as atividades programadas.


4 - Praticar Exercícios Físicos


A prática regular de exercícios físicos proporciona mobilidade, independência, autonomia e melhora o bem-estar biopsicosocial, além de reduzir os custos com tratamento de doenças e prevenir de eventos indesejados como as quedas.


Para praticar exercícios é importante tomar alguns cuidados, como, por exemplo, não deixar de realizar o aquecimento, esperar pelo menos duas horas de cada refeição antes da prática, monitorar a frequência cardíaca, a glicemia antes, durante e após o exercício, manter a hidratação, utilizar roupas e sapatos adequados e, ao sinal de qualquer sintoma, como tontura, falta de ar, náuseas e dor interromper o exercício imediatamente.


De acordo com Dr. Gabriel, se comparar o tempo apenas na posição sentado com a prática de exercícios regulares de intensidade moderada, conseguimos associar uma melhora na função imune tanto aguda (logo após) quanto crônica (ao longo do tempo) entre 18 e 67% a menos de chance de infecções, diminuição do estresse e ansiedade, principalmente os exercícios aeróbicos.


5 - Praticar Exercícios Mentais


Para distrair a cabeça, é importante praticar exercícios mentais, como, por exemplo, palavras-cruzadas, sudoku e leituras diárias


A Fundação de Assistência à Saúde dos Estados Unidos recomenda o Sudoku para exercitar o cérebro, auxiliando o ganho de memória e aperfeiçoando as funções cognitivas. Para quem nunca jogou, o Sudoku se assemelha às palavras-cruzadas, mas utiliza números ao invés de letras. É um desafio de raciocínio lógico e requer a resolução de operações matemáticas elementares. Podemos encontrar esse jogo em jornais, revistas ou publicações especializadas vendidas em bancas e livrarias.


A leitura cotidiana exercita o cérebro e o ajuda na preservação da memória vocabular. Ler jornais, livros ou revistas auxilia a impulsionar a atividade mental. Um estudo conduzido pelo Dr. Yonas Geda, um neuropsiquiatra norte-americano, revelou que a prática de leitura pode prever futuras perdas de memória. O mesmo trabalho, publicado em 2009, mostrou que idosos que se interessam por jogos, trabalham com computadores ou fazem artesanato, como cerâmica, apresentam perdas de memória entre 30% e 50% menores quando comparados àqueles que não praticam essas atividades.


Sobre o Hospital Royal Care


O Royal Care é um hospital de transição e longa permanência que presta cuidados extensivos a pacientes em internação para tratamento clínico, com foco no acolhimento e na humanização. Com funcionamento 24 horas, foi cuidadosamente planejado para proporcionar ao paciente crônico o conforto de um lar, garantindo, ao mesmo tempo, toda a estrutura necessária ao seu tratamento, com ênfase na reabilitação motora, respiratória e psicossocial, no suporte nutricional e nos cuidados de enfermagem.