Acontecendo...

    22/01/2020 -

    Janeiro Branco: saiba quando é hora de procurar ajuda

    Campanha tem o objetivo de chamar atenção para a saúde mental; especialista do Grupo São Francisco alerta sobre a importância de compreender temas como depressão e transtorno de ansiedade

    Para maioria das pessoas, janeiro é o mês ideal para iniciar os cuidados com a saúde e traçar metas para o ano. Mas, também é importante lembrar que para ter uma vida saudável é essencial que a saúde mental também esteja em equilíbrio. E é exatamente isso que a campanha Janeiro Branco propõe: chamar atenção para a saúde mental e promover conhecimento e compreensão sobre temas como depressão, transtorno de ansiedade e fobias.
    Dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) mostram que 5,8% dos brasileiros sofrem de depressão - taxa que está acima da média global (4,4%). Estima-se ainda que entre 20% e 25% da população teve, tem ou terá depressão, sendo essa a doença psiquiátrica com maior prevalência no Brasil.
    Por isso, o coordenador da psiquiatria do Grupo São Francisco, que faz parte do Sistema Hapvida, Gabriel Elias Correa de Oliveira, alerta que as doenças mentais não são "frescura", como muitas pessoas acreditam, e que precisam ser levadas a sério e tratadas.
    "Quando se trata de transtorno de ansiedade, que é uma doença mais naturalizada do que a depressão, por ser vista apenas como uma preocupação excessiva, os dados são ainda mais preocupantes", comenta.
    O relatório da OMS mostra que a ansiedade afeta 9,3% dos brasileiros e faz com que o Brasil ocupe o primeiro lugar da lista de países mais ansiosos do mundo. "Nossa população está bastante sobrecarregada e preocupada não só com o seu presente, mas também com o futuro", completa.
    Segundo o psiquiatra, negligenciar ou não reconhecer a depressão ou transtorno de ansiedade como doença é muito preocupante, pois elas trazem um impacto funcional no dia a dia das pessoas, como desajustes familiares e capacidade diminuída no trabalho.
    "Além disso, a pessoa doente procura o serviço médico, em várias especialidades, por volta de quatro vezes mais do que a população geral, que não tem um transtorno mental", explica Oliveira.
    O coordenador da psiquiatria do Grupo São Francisco afirma, ainda, que ao não receber o devido cuidado e tratamento da doença, o indivíduo poderá evoluir para casos mais graves. "Como doenças que são, não tratar uma depressão ou transtorno de ansiedade pode ocasionar uma complicação do caso e gerar um impacto maior na vida do paciente, como sintomas psicóticos, intenções suicidas - que tem crescido vertiginosamente -, e uma piora no uso de substâncias, já que pessoas com depressão e com transtorno de ansiedade tendem a usar mais drogas do que a população", alerta.
    Fique atento!
    Se pretende aproveitar o início do ano para traçar uma nova história em 2020, é ideal que tenha o cuidado de observar seus sentimentos. E a qualquer sinal de doenças mentais, como depressão e transtorno de ansiedade, procure ajuda médica ou psicológica.
    De acordo com o psiquiatra, sintomas como sensação de preocupação muito grande, sensação de tensão ou sobrecarga e alterações do sono, são sinalizadores importantes. "É fundamental gerenciar o próprio bem-estar através de uma vida saudável, momentos de lazer e descanso e com a prática de atividade física", conclui Oliveira.
    Veja mais »