Acontecendo...

    17/05/2019 -

    Música potencializa a capacidade cognitiva e beneficia a memória

    Estudos indicam que o aprendizado musical aumenta o tamanho e a conectividade de várias áreas do cérebro

    A música está presente em vários momentos do nosso cotidiano e é capaz de mudar a maneira como lidamos com diversas situações. Ela marca ocasiões especiais: um casamento, uma festa de aniversário, uma viagem, uma conquista. Pode acalmar em um momento de tensão e despertar sentimentos.

    No entanto, mais do que uma ferramenta de entretenimento, distração e relaxamento, a música potencializa capacidades cognitivas responsáveis pelo conhecimento, interpretação e concentração do ser humano. Estudos apontam que incentivar o aprendizado musical na infância, por exemplo, pode favorecer o desenvolvimento neurológico, já que a música estimula novos caminhos e conexões com o cérebro.

    As crianças se expressam de diversas formas, muitas vezes com mais liberdade do que por palavras. Desta maneira, por acessar conteúdos não verbais, o ensino musical é uma ferramenta tanto para o desenvolvimento da linguagem, como para o desenvolvimento cognitivo e emocional, aponta Claudia Freixedas, superintendente educacional do Projeto Guri, maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo.

    Realizada com crianças e adolescentes, entre 6 e 18 anos, uma pesquisa da Universidade de Vermont, nos Estados Unidos, constatou que a prática musical atua nas funções executivas do cérebro. Com isso, aperfeiçoa habilidades como memória e atenção, além de incentivar a criatividade. Outros estudos apontam ainda que a música ou estímulos musicais potencializam a reabilitação física e cognitiva de várias síndromes e transtornos do desenvolvimento, como a dislexia e o déficit de atenção.

    Mas, para alcançar tais objetivos, é importante que se respeitem as necessidades e interesses de cada indivíduo, possibilitando o autoconhecimento, favorecendo uma aproximação com a música e com a aprendizagem musical de maneira harmônica, saudável, ressalva Freixedas.

    Escutar música clássica com frequência também ajuda a prevenir doenças neurodegenerativas e ativa os genes da função cerebral, diz a pesquisa realizada na Universidade de Helsinque, na Finlândia. Além da vantagem para a saúde neurológica, a música também pode melhorar a capacidade de socialização e de trabalhar em equipe, ensina a ser perseverante e aumenta o senso de responsabilidade e de inovação. Para isso, é necessário que o ensino e a linguagem musical sejam embasados na criatividade, na liberdade e na flexibilidade, observa a superintendente educacional do Guri, programa que atende a cerca de 50 mil crianças e adolescentes por ano.

    Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Amigos do Guri: CTG Brasil; VISA; WestRock; Bayer; Microsoft; VALGROUP; Supermercados Tauste; Novelis; Caterpillar; EMS; Capuani do Brasil; Pinheiro Neto; Instituto CCR por meio da CCR AutoBAn; Grupo Maringá; AES Tietê; Faber Castell; ASTA; Mercedez-Benz; Supermercados Rondon; Castelo Alimentos; Raízen; Arteris; GRUPO GR; Tereos.

    Sobre o Projeto Guri

    Mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 770 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

    Sobre a Amigos do Guri

    Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, a Amigos do Guri administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao.
    Veja mais »