Acontecendo...

    17/09/2018 -

    Instituto Ronald McDonald e Hospital de Amor de Barretos inauguram casa de apoio a pacientes em tratamento do câncer infantojuvenil

    Lar de Amor, com mais de três mil metros quadrados, também tem apartamentos especiais para pacientes indígenas e poderá receber famílias inteiras; inauguração será no dia 18 de setembro.

    A distância dos grandes centros urbanos pode dificultar ou até mesmo impedir que famílias prossigam com o tratamento de crianças e adolescentes com câncer. Sempre à frente da luta para transformar essa realidade, o Instituto Ronald McDonald e o Hospital de Amor inauguram, no dia 18 de setembro, terça-feira, uma das maiores casas de apoio do Brasil, em Barretos, interior de São Paulo.

    A casa de apoio, intitulada Lar de Amor, está ligada ao Hospital de Amor Barretos, que recebe mais de 14 mil novos casos da doença por ano. Em 2017, foram realizados 880.620 atendimentos, sendo 171.454 pacientes vindos de 2.107 cidades de todos os estados do país. Na unidade infantojuvenil, foram registrados mais de 27 mil atendimentos. Por dia, são realizados cerca de 150 atendimentos a crianças e adolescentes.

    Casa oferecerá mais conforto a esses pacientes


    Com 3.262,72 metros quadrados de área construída, o Lar de Amor terá 32 apartamentos e uma estrutura capaz de garantir todo o conforto para os hóspedes. Além dos dormitórios, eles terão alimentação, atividades escolares, suporte psicossocial, entre outros benefícios.

    A novidade é que, além das mães ou pais, o espaço poderá receber outros membros da família. A proposta resolve um problema recorrente, que é a separação e perda do vínculo entre os parentes durante os longos tratamentos. Outro diferencial são as alas projetadas especialmente para populações indígenas: haverá redes e coberturas laterais feitas com palha para simular ocas.


    Para nós é uma grande vitória iniciar um projeto como o Lar de Amor, em Barretos. A casa foi planejada para atender famílias provenientes de todo o país em busca de um tratamento de excelência, inclusive com uma área para indígenas - afirmou o presidente do Hospital, Henrique Prata.

    A obra custou cerca de R$ 9 milhões, sendo mais de R$ 7 milhões foram investidos pelo Instituto Ronald McDonald na construção e mobília da casa. O restante do valor foi doado por parceiros. O montante investido pelo Instituto Ronald McDonald veio das doações recebidas por campanhas como o McDia Feliz, cofrinhos e do Invitational Golf Cup. Há 19 anos, a ONG contribui com ações, programas e obras em todo o Brasil para aproximar famílias da cura do câncer.

    Para Francisco Neves, superintendente do Instituto Ronald McDonald, este é um passo importante para as estratégias do Instituto Ronald McDonald de apoiar a oncologia pediátrica: - Além de garantirmos o diagnóstico precoce e o tratamento de qualidade, a casa de apoio é fundamental para o processo de cura, pois melhora a adesão, evitando o abandono do tratamento. A casa também é mais uma forma das famílias se sentirem acolhidos e amparadas durante esta fase tão desgastante que é o tratamento do câncer infantojuvenil -, ressalta Francisco Neves.
    Veja mais »