Acontecendo...

    13/06/2018 -

    Recital no Sesc Rio Preto retrata a luta feminista

    Atividade gratuita com a poeta Maria Rezende será no dia 24 de junho, das 18h às 19h

    A poeta carioca Maria Rezende apresenta no Sesc Rio Preto, no dia 24 de junho, das 18h às 19h, o recital feminista “Mulher Multidão”. Durante a atividade gratuita na Comedoria será conduzido pela própria artista um bate-papo com o público. As inscrições serão feitas no local da apresentação. O recital tem como fio condutor a força e o empoderamento feminino. Maria declama poemas que retratam fielmente o universo feminino com profundidade, graça, leveza, dor e humor, revelando a força e as angústias das mulheres. Para isso, mistura versos seus com outros de suas poetas favoritas como Elisa Lucinda, Adélia Prado, Hilda Hilst, Viviane Mosé, Mel Duarte.

    Esse novo trabalho nasce do mergulho da poeta na luta feminista e na percepção de que toda arte é política, especialmente a feita por mulheres. O recital começou a ser idealizado a partir de uma apresentação em João Pessoa no Mulherio das Letras, em outubro de 2017. O Mulher multidão é um verso do poema Pulso aberto, escrito por Maria e dedicado ao uruguaio Eduardo Galeano, em que a poeta diz "Somos as que evitam o desastre / as que inventam a vida / as que adiam o fim / mulher, multidão.

    Além de poeta, Maria é performer, montadora de cinema e televisão e celebrante de casamentos. Publicou três livros: Substantivo Feminino (2003), Bendita Palavra (2008) e Carne do Umbigo (2015). De olhar misterioso e pensamento plural, ela celebra improváveis casamentos: fossa e esperança, lirismo e dureza, tristeza e graça. Aos 37 anos, com mais de uma década de vida literária, Maria tem uma comunicação direta com o público, por meio de suas apresentações ao vivo e da internet. Ela já teve poemas publicados em veículos tão diversos como a revista Playboy e a revista Poesia Sempre, da Biblioteca Nacional, além da antologia Imagining Ourselves, do International Museum of Women de São Francisco.

    Longe de levantar qualquer bandeira, a poesia de Maria capta um inconsciente coletivo pulsante do feminino. Contemporâneo e cotidiano, o trabalho dela é revelar as sutilezas do dia-a-dia – talvez mais as noites do que os dias. É a sofisticação literária que vem da simplicidade. Durante sua trajetória literária se apresentou com sua poesia por todo o Brasil e também em Portugal, arregimentando fãs como a cantora Ana Carolina, que escreveu a orelha de seu segundo livro e gravou um de seus poemas mais populares, Adoro pau mole.


    MULHER MULTIDÃO - UM RECITAL FEMINISTA
    OFICINA | Dia 24/06, domingo, das 13h às 17h30
    RECITAL | Dia 24/6, domingo, das 18h às 19h
    COMEDORIA
    Grátis
    Veja mais »