Acontecendo...

    19/01/2018 -

    Prefeitura de Barretos orienta população sobre a Febre Amarela

    Com a ampla divulgação de casos de febre amarela em algumas regiões do país, a procura pela vacina vem aumentando nas unidades de saúde de Barretos, por isso, a Secretaria Municipal de Saúde de Barretos orienta a população, para que antes de buscar a dose verifique na carteira de vacinação se já não foi aplicada. Com uma aplicação vacina, a pessoa já está imunizada e não precisa se preocupar.

    “Barretos não está na área de risco da doença e não apresenta nenhum caso e nem suspeita. Não há motivos para que a população procure indiscriminadamente pela vacina nas Unidades de Saúde. Por enquanto recomendamos que apenas aqueles que realmente vão viajar para as áreas de risco, ou que não tenha recebido nenhuma dose da vacina durante a vida, procurem as unidades”, explica o secretário de Saúde, Alexander Stafy Franco.

    Segundo Vanessa Jodas Nunes, coordenadora da Vigilância Epidemiológica, a vacina pode ser aplicada a partir dos 9 meses.

    "Aqueles que ainda não se vacinaram podem fazê-lo nas Unidades Básicas de Saúde, das 7h às 17h, de segunda a sexta-feira. É importante que pessoas acima de 60 anos tenham prescrição médica antes de receber a dose. Quem pretende viajar para áreas endêmicas e regiões de mata deve se vacinar com pelo menos 10 dias de antecedência. Além disso, ela não é recomendada para gestantes, pessoas com o sistema imunológico debilitado e pessoas alérgicas a gema de ovo" disse.

    O médico infectologista, Guilherme de Carvalho Freire, explica que a febre amarela não é uma doença contagiosa. “A sua transmissão urbana só é possível através da picada de mosquitos Aedes aegypti, o mesmo transmissor da Dengue, Zika e Chinkungunya. Portanto, a prevenção da doença deve ser feita evitando a sua disseminação” enfatizou.

    “Além disso, devem ser tomadas medidas de proteção individual, como a vacinação contra a febre amarela, especialmente para aqueles que moram ou vão viajar para áreas com indícios da doença. Outras medidas preventivas são o uso de repelente de insetos, mosquiteiros e roupas que cubram todo o corpo” acrescentou o infectologista.
    Veja mais »