Acontecendo...

    11/01/2018 -

    Dieta detox: Nutricionista esclarece indicações e riscos

    As festas de fim de ano já passaram e agora começa a correria para eliminar tudo o que se comeu durante as ceias. Por isso, muitas pessoas optam pela dieta detox, a qual inclui alimentos de fácil digestão e com propriedades que agem especialmente no fígado e intestino, órgãos responsáveis pela metabolização de até 80% dos nutrientes, auxiliando, assim, o organismo na eliminação das toxinas geradas pelos excessos alimentares. “A dieta é recomendada logo após períodos de exageros no consumo de alimentos gordurosos, ricos em açúcares, industrializados e com muito sal e substâncias químicas. Esses excessos, muitas vezes agravados por fatores comuns dos dias de hoje, como cigarro, estresse e poluição, podem causar malefícios, sendo os principais diarreia ou constipação, gosto amargo na boca, dores de cabeça, baixa resistência imunológica, inchaço, alergia, insônia, ansiedade e indisposição. Então, as receitas detox ajudam a reequilibrar o organismo”, explica a nutricionista do Hospital e Maternidade São Cristóvão, Cintya Bassi.

    Mas, o que está incluso em uma dieta detox? Segundo Cintya, é importante acrescentar alimentos ricos em fibras, encontradas em biscoitos, arroz e pães integrais, aveia, açúcar mascavo, linhaça e cereais em geral, que ajudam na limpeza e regulação do intestino. Também frutas, verduras e legumes, preferencialmente orgânicos, devem compor o cardápio por conterem poucas calorias e serem ricos em nutrientes e prebióticos. Exemplos são a melancia que é diurética; o abacaxi que auxilia na eliminação de impurezas; o gengibre que melhora a digestão, fortalece o sistema imunológico e combate a constipação intestinal; a berinjela que tem ação digestiva e laxante; e a couve que estimula a produção de enzimas que ajudam na eliminação de toxinas e é fonte de vitamina B, facilitando o metabolismo dos macronutrientes. Outros alimentos detox importantes são as frutas cítricas, como limão, laranja, kiwi e acerola, os quais possuem substâncias antioxidantes e fortalecem a imunidade. Ainda, peixes, ervas e chás, como hibisco, chá verde, carqueja e boldo devem estar presentes. Isso tudo sem se esquecer de reforçar a hidratação para eliminar as toxinas.

    A ingestão desses alimentos trazem benefícios, como a melhora do sistema imunológico, do funcionamento intestinal e do metabolismo, além da diminuição da retenção de líquido, do estresse e das dores de cabeça. No entanto, a nutricionista alerta que há alguns nutrientes essenciais ao organismo que não podem ficar por muito tempo fora da dieta, sem substituição adequada, como os da carne e do leite. “A ausência deles pode acarretar em diminuição no fornecimento de energia para as atividades diárias, perda muscular e carência de vitaminas e minerais. Por isso, a dieta detox tem que ser bem planejada e orientada. Diabéticos, gestantes e lactantes não devem segui-la”, alerta.
    Veja mais »